Livros para todos os gostos: Isoterismo & Energias

Eu sempre apreciei uma boa leitura, ser levada para outro universo ou outra realidade, criar empatia com os personagens e os lugares. Acredito que exercita muito mais a nossa mente do que ver filmes onde os cenários já nos são apresentados em vez de os imaginarmos. Mas claro que com isto não quero dizer que não goste de ver filmes, aliás, não há nada melhor que relaxar ou matar as insónias do que ver ou rever um bom filme.

Enfim, voltando ao assunto deste post. Eu tenho um gosto variado e tanto gosto de ler ficção, ficção científica, auto-ajuda e livros ligados ao esoterismo e medicinas alternativas.

IMG_2159_edit_web.jpg

Infelizmente, a grande maioria dos meus livros estão guardados em caixotes num depósito até ter um apartamento em condições para montar e decorar a minha casinha. Até lá vou fazendo novas aquisições, incluindo e-books para evitar um grande volume de livros - são uma chatice para carregar de casa em casa! -.

Digamos que grande parte dos livros de auto-ajuda estão no meu leitor eletrónico Kobo por duas razões:
. Existe uma maior variedade em inglês, de fácil leitura;
. a vantagem de ter um Kobo é que há muitos livros (ebooks) de outras editoras que são compatíveis com este dispositivo - talvez não sirva para os livros Kindle porque estes vêm encriptados/bloqueados para servirem apenas para aquele dispositivo.

Se quiserem numa próxima vez posso falar um pouco mais sobre o Kobo, mas já me foi dito por um funcionário da Fnac que eles não têm muita saída. Vendo bem, o português em geral sempre foi bastante tradicional neste aspecto e maior parte das pessoas prefere o bom e tradicional livro.
 

Reiki para a Vida + Tarot Decifrado

Vamos começar com as energias do Reiki.

Reiki para a Vida foi comprado devido à curiosidade que foi levantada quando fiz a minha única sessão de alinhamento de chakras. Foi um serviço feito por uma amiga minha que infelizmente mora longe, senão podem ter a certeza que já teria feito outras tantas sessões. Mas a explicação da sua compra não se fica por aqui.

Eu sou uma pessoa que não acredita em Deus, a isto refiro-me a um Deus em específico, seja ele católico, jeová, ortodoxo e por aí vai. Acredito sim em energias boas e más, aquelas que nos influenciam, as que nos acompanham, as que habituam um certo lugar e aquelas que habitam objectos, como por exemplo, os cristais.

Então, este livro é bastante extenso e super detalhado. Explica tudo passo-a-passo de como se iniciar no Reiki, desde como concentrar a energia entre as nossas mãos, como praticar e treinar, e até mesmo como aplicar em nós mesmos, em outras pessoas e até nos nossos animais de estimação. Não é incrível a sua versatilidade?! Eu estou fascinada!

Um dos detalhes do Reiki é que necessitamos de ter sessões com um mestre para que este possa abrir os nossos canais de energia. É um  procedimento que pode ser efectuado à distância, o mestre não precisa de estar presente e é por isso que estou a reservar esse momento para quando tiver um apartamento e um cantinho especial para estas minhas práticas. Tudo a seu tempo, não é?!

Para quem estiver com curiosidade ou quiser ir mais longe como eu, aconselho vivamente a leitura deste livro, para além disso, como ele é recomendado pela Associação Portuguesa de Reiki, também posso sugerir que se entre em contacto com a Associação para se obter mais informações ou quem sabe um curso presencial.

Eu adoraria fazer o curso, mas neste momento não tenho tempo e as minhas finanças neste momento já estão devidamente organizadas e reservadas.

Vamos ler as cartas?

Tarot Decifrado já foi comprado por impulso e por culpa de andar a negligenciar o meu baralho de Marselha há já bastante tempo. verdade seja dita, não tenho tido cabeça nem disposição, porque sou uma pessoa que tem de ter tudo organizado de uma certa forma, tenho de estar com espírito e vontade, tenho de sentir que as vibrações da casa estão favoráreis (basta ter a sensação de que o momento é certo e que se sente um sossego na casa - de preferência sem correr o risco de ser interrompida pelo marido).

Ainda não explorei com detalhe, mas já dei uma vasculhadela de ponta a ponta assim que na diagonal, como se costuma dizer. Li sobre os Arcanos Maiores e os Arcanos Menores, também ensinam alguns métodos de lançamento de cartas de vários graus de dificuldade, como também um excelente exercício para me familiarizar com as cartas.

Não tenho praticado este último exercício com a regularidade com que devia, mas aos poucos vou inserindo na minha rotina.

Há uns anos atrás, quando me dedicava ao estudo do Paganismo e Wicca, era praticante de tarot, tirava cartas para mim mesma com o intuito de aprender e reflectir sobre a minha própria vida. Se estivesse a passar por um período do confuso da minha vida em que estivesse com dúvidas em tomar alguma decisão, recorria às cartas para uma maior claridade.

Mas atenção! Não se deve levar tudo à letra porque a forma como julgamos as cartas que se revelam diante de nós é muito subjectiva e influenciável pelas nossas vivências. Daí que o ideal é ser outra pessoa a ler o nosso tarot.

Eu apenas faço este exercício como forma de reflexão e meditação.

Estes dois livros têm algo em comum e foi a outra razão para os ter comprado: ambos são formas de meditação. Aprendi há um tempo atrás que não precisamos de meditar sentados de pernas cruzadas e olhos fechados, a meditação pode ser feita de várias formas, e é aqui que entra o mindfulness, um tema que irei abordar novamente mais lá para a frente, mas do qual já discuti neste post, aqui.

Se gostaram das minhas sugestões, então poderão encontrar ambos os livros à venda na Fnac como também na Wook.pt.

Livros: 1Q84 - Haruki Murakami

 
1Q84.png
 

Se há coisa que adoro fazer é ler durante o percurso de casa para o trabalho e vice-versa. Apesar do caos nos transportes públicos em hora de ponta, eu tento começar o dia o mais descontraída possível. Não sou das que faz má cara logo pela manhã, mas sem dúvida que prefiro passar-me por invisível e esquecer a confusão e a multidão à minha volta.

Mas o que me traz aqui hoje é outro assunto que não a azáfama das manhãs; é sim sobre um livro, ou serão 3?! Bom, são 3 volumes que contam uma história que nem sei bem como descrever sem correr o risco de dar um valente spoiler.
Posso dizer que a escolha deste livro foi feita com base no facto de ter ouvido falar bem deste autor e tinha decidido ler pelo menos um livro seu.
E foi nesta linha que de raciocínio que me apercebi que já tinha visto uma boa quantidade de vezes a capa de 1Q84. Só não sabia que esta história é composta por 3 volumes dos quais já li 2 volumes.

Na tentativa de vos aguçar a curiosidade, toda a história deu-me a sensação de estar a entrar no sonho de alguém, neste caso de dois personagens: Tengo e Aomame.
Os capítulos vão alternando entre história de cada um, e foram construídos quase como se cada capítulo fosse um episódio e o livro fosse 2 séries em 1.
Ela tem 29 enquanto ele já entrou na casa dos 30. Cada um leva a sua vida como planearam, mas eventos distintos e decisivos para ambos muda tudo, fazendo com que questionasse a sua própria sanidade mental. Eu própria comecei a questionar juntamente com os personagens, se eles não estariam a viver noutra realidade que desconheciam até então, ou se haveria algo mais a acontecer que nos tivesse escapado.

Acreditem que gostaria de vos contar mais, mas ainda assim, não deixa de ser mais do que recomendado e um excelente livro... quer dizer, livros. Não se vão arrepender!

Sopa Wonton Gulosa

wonton_pronto_square.jpg

Para os fãs de comida chinesa como eu, de certeza que, pelo menos, já tentaram cozinhar um prato em casa, seja um chau min, ou um porco acridoce. Usando os ingredientes originais ou alternativos face à escassez de supermercardos chineses, acabamos por chegar ao resultado que queremos.
No meu caso, aprendi e fui aperfeiçoando ao meu gosto a maravilhosa sopa wonton. Simplesmente sou viciada neste prato que pode ser bastante versátil e adaptável!

No início estava toda entusiasmada em conseguir reproduzir a receita original, procurei-a por todo o lado até encontrar a Cantonese/Hong Kong style wonton noodle soup, mas esse entusiasmo todo foi-se por água abaixo mal acabei de analisar a receita até ao fim.
É um prato um tanto ou quanto complexo de se preparar e consiste numa mistura de vários caldos até chegarmos ao caldo final.

O meu objectivo ao recriar esta receita numa versão mais simples, foi o de conseguir atingir um sabor idêntico, mas com uma pequena diferença: nada de porco. Aqui só entra camarão e/ou frango. É mais saboroso, para além de que o porco é uma carne com um sabor bastante forte especialmente quando passa apenas por uma cozedura. (Mas claro que não se aplica a todos os pratos.)

Para fazer o caldo optei por usar caldo de galinha knorr (à falta de caldo de galinha caseiro) para acentuar mais o sabor, e outros temperos que já vou mencionar mais abaixo. Par aos que quiserem atalhar, existem caldos em pó já preprados à venda em alguns supermercados no Martim Moniz - mais exactamente no supermercado Chen.
Ora bem, aqui vai a minha versão!


 

Ingredientes para os wontons

DSC03585_edit_web.jpg
DSC03582_edit_web.jpg

. Wrappers para wonton - massa em forma de quadrados. 
. 1 ovo
. 1 peito de frango picado
. alho em pó q.b.
. 1 colher de sopa de molho de soja
. 1 pitada de pimenta branca
. 1 colher de sopa de vinho de arroz
. 1 ramo de cebolinho picado

 

Preparação dos wontons

1. Cobrir a bancada da cozinha com película aderente. Assim, evita-se que a massa se cole ao tampo e é uma forma de não se ter o trabalho de andar a raspar pedaços de massa e farinha.
2. Colocar a carne de frango picada numa tigela e juntar todos os ingredientes secos. Misturar tudo muito bem com as mãos ou uma colher grande.
3. De seguida, acrescentar o ovo e os restantes ingredientes líquidos. Voltar a mexer muito bem e depois deixar a repousar no frigorífico durante 1 hora no mínimo para que os ingredientes se entranhem na carne.
4. Trocar a película aderente e prepara-se a mesa de trabalho para se começar a rechear a massa! Para isso vamos precisar de: uma tigela pequena com água, a tigela com a carne, a massa wonton, uma colher de café para medir a quantidade de recheio e um prato forrado com película para que os wontons prontos não se colem.
5. Pega-se num quadrado de massa e coloca-se uma colher de café da carne picada.
6. Mergulha-se o dedo na água e passa-se por toda a borda do quadrado para que se cole quando se dobrar ao meio, em forma de triângulo.
7. Repetir os passos acima para cada quadrado de wonton e ir colocando no prato forrado. Ao colocar os wontons no prato, é preciso ter a certeza de que não tocam uns nos outros. Eu costumo alternar camadas de wontons com camadas de película, para manter tudo muito bem condicionado.

Dica:
Como costumo fazer os wontons em grande quantidade, por norma ponho o prato no congelador e depois de congelados, passo os wontons para um saco para ocuparem menos espaço, até porque depois de congelados já não se agarram mais.


 

Ingredientes para o caldo

. água
. caldo knorr
. pimenta branca
. 1 colher de chá de óleo de sésamo
. cebolinho picado
. 2 colheres de sopa de molho de soja
. 1 molho de pack choi por porção
. noodles de ovos
. óleo de sésamo

Noodles: Ferver a água, desligar o lume, colocar os novelos de noodles e deixar repousar por 3-4 minutos, com uma tampa por cima para manter o calor.

Preparação do caldo

1. Colocar uma panela com a água ao lume para ferver.
2. Quando começar a ferver, baixar para lume médio e colcar os wontons, e deixar cozinhar. Eles estarão prontos quando estiverem a flutuar no cimo do caldo. Mas antes disso...
3. Quando se vir 2 ou 3 wontons a flutuar, adicionar o pack choi cortado em pedaços grosseiros, e o cebolinho picado.
4. Deixar ferver por mais 3 minutos, porque todos os ingredientes cozinham bastante depressa.
5. Desligar o lume e dividir a sopa pelas tigelas já com os noodles escaldados. Servir de imediato para evitar que as massas cozam demais.

E aqui têm a minha receita! 
Existem milhares de variações espalhadas pela internet fora, e é com base nelas que crio as minhas próprias versões. E por incirível que pareça, um ovo cozido de gema mole faz toda a diferença numa simples sopa sem wontons.

Se já experimentaram fazer a vossa, estejam à vontade para partilhar os vossos resultados nos comentários abaixo. Gostaria de experimentar as vossas versões!

 Wonton noodle soup Cantonese style at  Duck , Dublin, IE

Wonton noodle soup Cantonese style at Duck, Dublin, IE

Bem-vindo & Welcome

A vontade de escrever um blog já vem de há bastante tempo atrás, mas por várias vezes (talvez demasiadas) desisti e voltei à carga. Desta vez é a sério!

Fui capaz de parar tudo, refletir, observar outros blogs, ler artigos sobre como ter/organizar/manter um blog, e até estou de olho em alguns cursos e workshops relacionados com o assunto em que gostaria de participar. Mas no fundo, todos estes passos e este período de reflexão ajudou-me a inspirar-me e criar conteúdo, que no final é o elemento principal de qualquer blog. por mais bonito ou feio que seja, ele irá captar leitores se essas mesmas pessoas se identificarem com o que lêem.

E esse foi um dos meus maiores obstáculos. De cada vez que começava a escrever, passado pouco tempo achava que o assunto não interessava a ninguém ou já havia muita gente a falar sobre ele, e isso foi o que fez com que desistisse e procurasse outro nicho, mas sem sucesso.
Eu tinha de encontrar um tema ou vários com que me relacionasse, que fluísse com naturalidade. E foi o que começou a acontecer há pouco tempo.

Tenho posts que já foram publicados mas não devidamente divulgados e quis aproveitá-los para voltar a colocá-los aqui, porque já me tinha empenhado em criar conteúdo e imagens de qualidade.
Sei que ainda tenho um longo percurso pela frente, mas estou confiante que vou fazer deste meu hobby, uma obra da qual me vou orgulhar.

Quero agradecer desde já a todos os que vierem fazer uma visita a este espaço, e estejam à vontade para deixarem sugestões, ideias ou simples olá nos comentários. Ou estejam à vontade para me mandar um email!